Logo ASBAI

Revista oficial da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia ASBAI

Brazilian Journal of Allergy and Immunology (BJAI)

Número Atual:  Abril-Junho 2018 - Volume 2  - Número 2


Artigo Original

Análise imunológica da reatividade cruzada alergênica entre Cheyletus malaccensis e Dermatophagoides farinae, Dermatophagoides pteronyssinus e Blomia tropicalis

Immunological analysis of allergenic cross-reactivity between Cheyletus malaccensis and Dermatophagoides farinae, Dermatophagoides pteronyssinus and Blomia tropicalis

Francisca Mihos1,3; Victor Paiva2; Patrícia Pereira2; Anderson Matos3; Maria Cruz3


1. Escola de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Brazil
2. Instituto de Química da UFRJ, Rio de Janeiro, Brazil
3. Laboratório de Extratos Alergênicos Ltda., Rio de Janeiro, Brazil


Endereço para correspondência:

Francisca das Chagas Sobral Silva Mihos
Email: franciscamihos@gmail.com

RESUMO

OBJETIVO: O ácaro Cheyletus malaccensis é referido na literatura como um predador de outras espécies de ácaro. Pouco se sabe sobre sua composição proteica, e poucos estudos avaliaram sua habilidade de desencadear reações alérgicas respiratórias atópicas. O objetivo do presente estudo é investigar a impressão digital do perfil proteico presente em um extrato de Cheyletus malaccensis e avaliar sua reatividade imunológica na presença de imunoglobulinas (IgE) específicas do soro de indivíduos diagnosticados com alergia aos ácaros Dermatophagoides farinae, Dermatophagoides pteronyssinus e Blomia tropicalis. Essas três espécies carregam proteínas responsáveis pela maioria dos casos de alergias respiratórias atópicas, o que justifica o interesse em compará-las ao Cheyletus malaccensis.
MÉTODOS: Amostras de poeira aspirada contendo Cheyletus malaccensis foram coletadas de domicílios na cidade do Rio de Janeiro, no Brasil. A partir da massa coletada desse ácaro, extratos foram preparados para análise. As proteínas presentes nos extratos foram identificadas por eletroforese sob condições desnaturantes.
RESULTADOS: Proteínas com massa molecular de 24 kDa, 26 kDa, 12 kDa, 45 kDa e 70 kDa foram visualizadas. O ensaio imunoenzimático mostrou reatividade cruzada positiva para proteínas de massa molecular variando de 20 kDa a 45 kDa. Esses resultados indicam que ligações específicas foram estabelecidas entre a IgE presente no soro de indivíduos alérgicos ao ácaro usado como comparador e proteínas de Cheyletus malaccensis.
CONCLUSÕES: Os achados são relevantes por seu potencial clínico e aplicações imunoterapêuticas, bem como sua base de informações para futuros estudos.

Palavras-chave: Ácaros, Cheyletus malaccensis, caracterização de proteínas, alérgenos, reatividade cruzada.



2018 Associação Brasileira de Alergia e Imunologia

Av. Prof. Ascendino Reis, 455, Vila Clementino, CEP 04027-000, SÃO PAULO, SP, Fone: (11) 5575-6888

GN1 - Sistemas e Publicações