Logo ASBAI

Revista oficial da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia ASBAI

Brazilian Journal of Allergy and Immunology (BJAI)

Número Atual:  Julho-Setembro 2019 - Volume 3  - Número 3


CARTA AO EDITOR

Acesso facilitado à medicação com budesonida e formoterol associados

Gustavo Silveira Graudenz1; Helena Landim Cristóvão2


DOI: 10.5935/2526-5393.20190046

1. Universidade Santo Amaro, Saúde do Idoso, Disciplina de Reumatologia e Imunologia - São Paulo, SP, Brasil
2. Universidade Santo Amaro, Saúde do Idoso, Disciplina de Reumatologia e Imunologia - São Paulo, SP, Brasil


Endereço para correspondência:

Gustavo Silveira Graudenz
E-mail: ggraudenz@gmail.com

Não foram declarados conflitos de interesse associados à publicação desta carta.




Prezado Editor,

A prevalência da asma em adultos no Brasil foi recentemente estimada em 4,4% por meio da Pesquisa Nacional de Saúde, sendo que 43% das mulheres afetadas e 30% dos homens afetados tiveram pelo menos uma exacerbação, e 80% de todos afetados usaram medicação para asma nos últimos 12 meses1. Este estudo conclui que são necessárias políticas para obter um melhor controle da asma em nosso país.

As mudanças introduzidas pela Iniciativa Global Contra a Asma (GINA) em 2019, atualmente desaconselham o uso de beta-agonistas de ação curta isoladamente para o tratamento da asma pornão tratar o processoinflamatório pulmonar e aumentar o risco de exacerbações de asma e visitas médicas de urgência. A recomendação para o tratamento da asma leve preconiza o uso de corticoesteroides inalados em associação com beta-agonistas de longa duração,sendoaassociaçãopreconizada,adebudesonida com formoterol para indivíduos acima de 12 anos de idade. Alternativamente, pode ser usado beta-agonista de curta duração, desde que usado de forma concomitante com corticosteroides inalados, ambos a serem usados conforme a necessidade percebida pelo paciente, sem um esquema de administração continuada.

Entre as vantagens da abordagem com a associação de corticoides com beta-agonista de longa duração por demanda na asma leve são a praticidade de manter somente uma medicação para uso conforme a necessidade do paciente, sem correr o risco de baixa adesão ao uso do corticoide inalado, o que levaria, novamente, ao uso de beta-agonista isolado.

Na lista da Relação Nacional do Medicamentos Essenciais (RENAME), para a dispensação da associação de budesonida com formoterol pelo Sistema Único de Saúde ainda se faz necessário o preenchimento do Laudo de Solicitação, Avaliação e Autorização de Medicamento do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (LME)2. Solicitação atualmente composta de 23 campos a serem preenchidos a serem entregues às Farmácias de Medicamentos Especializados da SES/SP ou Farmácias Municipais, esta deve vir acompanhada de uma cópia dos documentos pessoais, um termo de esclarecimento assinado pelo médico e pelo paciente disponibilizado pela Secretaria de Saúde3, além da espirometria e receita da medicação aser usada, para amedicaçãoser dispensada. A cada 3 meses é necessário uma nova receita e novo preenchimento do LME.É necessário trazer a espirometria uma vez ao ano. Em contrapartida, a dispensação atual de broncodilatadores de ação curta como o salbutamol ou brometode ipatrópio é feita de forma gratuita e simplificada em todas as farmácias credenciadas com o programa Farmácia Popular, com uma via de receituário simples, devidamente identificado e carimbado, datado até 180 dias antes e mediante apresentação de documento de identificação.

Diante da atual mudança dos paradigmas de tratamento e controle da asma leve, se faz necessário uma mudança para tornar mais acessível a dispensação da associaçãode budesonida-formoterolnas farmácias, uma vez que o uso preconizado dessa associação como opção em todos passos de tratamento da asma deve evitar exacerbações e reduzir o número de visitas a unidades de emergência, e com impacto positivo na qualidade de vida dos indivíduos afetados.

 

Referências

1. Ministério da Saúde, MS, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE. Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2015. Disponível em: http://www.pns.icict.fiocruz.br/. Acesso em maio/2017.

2. Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Saúde. Laudo de Solicitação, Avaliação e Autorização de Medicamento do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (LME). [Internet]. Disponível em: http://saude.sp.gov.br/ses/perfil/profissional-da-saude/homepage-old/acesso-rapido/laudo-de-solicitacao-avaliacao-e-autorizacao-de-medicamento-do-componente-especializado-da-assistencia-farmaceutica-lme

3. Pharmacy Pills PDF. Termo de Esclarecimento e Responsabilidade [Internet]. Disponivel em: http://www.hcrp.usp.br/sitehc/upload%5C53%20-%20ASMA%202010.pdf.

2019 Associação Brasileira de Alergia e Imunologia

Av. Prof. Ascendino Reis, 455, Vila Clementino, CEP 04027-000, SÃO PAULO, SP, Fone: (11) 5575-6888

GN1 - Sistemas e Publicações